Mensagens

  • ao igreja nacional
  • 04 nov, 2017

Seja abençoado ao meditar nessas mensagens!

Ressurreição: Fundamento da Fé, Esperança e Amor   -   Texto: Romanos 4:17-25  

I-               O fundamento da nossa fé a Ressurreição  

A Ressurreição é obra de um Deus que faz milagres, o Deus de Maravilhas.

1 Co 15:14 – “E se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e é vã a nossa fé.”

Que Deus é esse e qual o seu nome?

1-     Seu nome é – EU SOU O QUE SOU  – ou YAHWEH

“O que era que é e o que há de vir”, o Eterno, o Deus de ontem, de hoje e eternamente.

2-     O Deus que se manifesta pela fé.

Hb 11:6 – “Sem fé é impossível agradar a Deus.”

Abraão foi justificado pela fé. Como?

a)    Creu na promessa de Deus.

“Terás um filho” e “Por pai de muitas nações te constituí”

b)    Creu contra a esperança.

Era impossível Abraão e Sara terem um filho. Yahweh prometeu gerar a vida do ventre morto de Sara, sem a menor possibilidade.

c)    Não enfraqueceu na fé.

Abraão “não atentou para o seu próprio corpo já amortecido” (v.19)

Não fixou o seu olhar na circunstância totalmente desfavorável.

Naquela situação era impossível.

Pensemos, por um momento, em quantas situações totalmente impossíveis aos nossos olhos temos na vida?

d)    Não duvidou da promessa de Yahweh

Abraão se fortaleceu glorificando a Deus.

Deus se manifestou pela fé de Abraão. Deus que:

- Vivifica os mortos e chama as coisas que não são como se já fossem.

- Antes de vir à manifestação já existe.


II-             O fundamento da verdadeira Esperança é a Ressurreição
Ressurreição é:                                                                                                                                           

  a)    Dar vida ao que morreu

b)    Chamar à existência o que não existe

 

                  Yahweh se deu a conhecer em Jesus Cristo, por um único propósito:

        Levantar uma descendência inumerável como as estrelas do céu e como a areia do mar .

                  O que Ele fez com Abraão tinha em vista Ele mesmo
                  ▪ Em Isaque será chamada a sua descendência           – Abraão

                  ▪ Em Jesus Cristo será chamada a sua descendência   - Yahweh

        V.23 – “Ora não só por causa dele está escrito que lhe fosse tomado em conta, mas também por nós ... os que cremos naquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus, nosso Senhor.

        V 25 – “Foi entregue por nossos pecados. Ressuscitou para nossa justificação”.

 

                    Pela fé em Cristo e em Sua Ressurreição se estabelece a Verdadeira Esperança.

  Somos filhos de Yahweh por Jesus Cristo que contra a esperança, porque estávamos mortos nos nossos delitos e pecados, levou o nosso pecado sobre Ele na cruz do Calvário, morrendo em nosso lugar e nos dando a esperança da vida eterna com o Pai.

Ef 2:5-6 – “Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus. ”

                  Jesus venceu a morte e nele:

                   ▪ Temos paz com Deus

                  ▪ Temos vida abundante

 

III-           O fruto do Amor de Jesus é a Ressurreição  

 Rm 5:10 – “Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.”

Reconciliados na morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Conclusão:

                        A Ressurreição de Jesus é o fundamento do florescimento dos frutos da perfeição a ser revelado em nós no retorno do Nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo:

            A Fé, a Esperança e o Amor

                                                            MARANATA, ORA VEM SENHOR JESUS!

 

                                                                                                                                                                Por Pra. L. Nazareth Fontoura

Uma Jornada Vitoriosa

Não importa o que aconteça. É preciso só saber, crer e receber das mãos de Deus tudo o quanto nos sucede debaixo do sol. Sobre nós, os que cremos, o sol da Justiça já abriu as suas asas e todas as coisas sempre cooperarão para o nosso bem. Jó falou: Receberemos o bem de Deus, e não receberíamos também o mal? Não que Deus faça produzir o mal sobre nós; não que todo o mal que nos suceda seja um castigo por nossas más posturas ou ações; mas vivemos num mundo sujeito a terremotos e tsumamis e, como todos, passíveis de sofrermos as intempéries que sobrevoam os ares. Porém, o que há de mais lindo é que o nosso Deus, sempre transformará maldição em bênção; invariavelmente usará as adversidades em trampolins que nos transportarão aos altos montes, cada vez mais conscientes da Sua Existência Gloriosa e do seu Poder.

    Na verdade, aprendemos o descanso no meio da tribulação, afinal, não é à toa que é a própria tribulação que produz perseverança e, consequente esperança.

  Deus não nos tirou daqui porque é bem aqui que aprenderemos a natureza da vitória conquistada por Cristo, para nós, na Cruz do Calvário. É preciso sempre ter em nossa lembrança que a vitória não é de quem nunca caiu, mas de quem se recusa a ficar no chão. E Jesus não permaneceu na morte, mas RESSUSCITOU!! Esta é a marca do verdadeiro guerreiro: a persistência em prosseguir, mesmo que se tenha que recomeçar tantas vezes quanto preciso. O Senhor se lembra que somos pó. Nós também devemos nos lembrar. Isto nos ajudará a permanecer no lugar da dependência de Sua Graça e Misericórdia, que somente é a causa de não sermos consumidos. Aleluia!!

 Corramos com perseverança a carreira que nos está proposta e conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor. Ele espera de nós que façamos valer, em nossa vida, a verdade do Evangelho e benefícios da Cruz enquanto experimentamos no corpo o morrer de Jesus.

    Há muito mais o que conquistar até o prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus. De degrau a degrau, de glória em glória, acredite, estamos destinados à uma jornada vitoriosa.


                                                                                                                                                                                       Por Pra. L. Nazareth Fontoura

SEJA UM ABENÇOADOR!

Texto: Lc 6:38

Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço; porque com a mesma medida com que medis, vos medirão a vós. ”

Às vezes, pensamos ter chegado “ao fundo do poço” e achamos que não temos nada para ofertar.

Deus, então, nos diz que podemos abençoar e encorajar outras pessoas através de nós, quer achemos ou não que temos recurso.

I Rs 17:8-16 relata a história da viúva que só tinha o suficiente para fazer um pão para ela e seu filho e, depois de comerem esta última refeição, aguardariam a morte.

Então, chega o profeta Elias e pede-lhe o pão que ela e o filho comeriam. Ela fez o pão e deu ao profeta.

Através desse gesto, ela viu o azeite e a farinha multiplicarem-se em sua casa.

Assim também Deus vai cobrir de bênçãos a nossa oferta: à medida que nos disponhamos a abençoar.

Se tivermos uma despensa cheia de mantimentos, devo me sentir feliz em esvaziá-la, se me lembrar de quem a encheu em primeiro lugar porque sei que, tão depressa a esvazie, Deus vai enchê-la novamente.

Mas como posso dar se minha despensa está vazia?

É justamente quando estamos nessa situação, no fundo do poço, sem vida, que ficamos mais preparados para a provisão de Deus.

Não fique preocupado se você não tem em estoque este ou aquele item. Deus quer que você se preocupe com a saída e deixe a entrada para Ele. Ele é o provedor!

Como um bom administrador, Deus faz o que qualquer dono de uma loja faz: reabastece as prateleiras ao fechar seu estabelecimento, pois “aos Seus amados, dá enquanto dormem.” (Sl. 127:2b)

É isso que Ele quer fazer hoje por você: Estocar sua vida com mais itens. Basta que você Lhe entregue suas necessidades, seus anseios, devolvendo-Lhe aquilo que tem lhe dado em abundância – A Provisão para sua vida.

Que sua despensa, seus celeiros sejam sempre reabastecidos com abundância para que você seja também um abençoador.

                                                                                                                                                                                                                      Por Ilca Helena Erthal de Freitas



DEIXE DEUS SER DEUS EM SUA VIDA

Texto: Mt 5:6

“Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça, porque serão fartos. ”

  •  Jesus chama de bem-aventurados os que tem fome e prontificou-se a alimentá-los  fartamente
  • Essa não é uma fome física, mas espiritual, pela presença de Deus. Essa fome traz mudança e avivamento espiritual.

Importante observar:

  • Somente Deus pode gerar essa fome espiritual.      
  • Essa fome leva o crente a uma submissão total a Deus.       
  • Essa fome nos leva a ver o que Deus está fazendo ao nosso redor.      
  • Quanto mais intensamente buscarmos a Deus, mais veremos as maravilhas desse relacionamento.


Para ter um relacionamento com Deus é preciso:      

  • Crer em Jesus como Seu Salvador       
  • Desejo profundo por este relacionamento, servi-lo de coração e espírito, não apenas de mente.    
  • Diligência – buscar essa intimidade como se procura um tesouro, persistir em busca-la. Ex.: A dracma perdida.  
  • Verdade – quem só busca a Deus aos domingos na Igreja, não quer um relacionamento profundo com Ele. A busca é diária, constante.      
  • “Vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores O buscarão em espírito e em verdade...” Jo 4:23

O que impede que isso aconteça?     

  • Não querermos sair da noss zona de conforto      
  • Impedir que Deus seja Deus a direcionar nossos passos    
  • Pensamos enganar a Deus com nossas razões e desculpas.

“Conheço as tuas obras, que não és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno, vomitar-te-ei da minha boca. ” Ap. 3:15,16

Resultados do Relacionamento íntimo com Deus:

Liberdade – Paulo e Silas foram presos por pregarem a mensagem de Jesus; atados com cadeias e amarrados os pés; soldados armados os vigiavam. Mas eles oravam incessantemente a Deus e cantavam louvores continuamente. E um terremoto os livrou da prisão.

Tipos de prisão: Física: cárcere, Espiritual: vários exemplos bíblicos, entre eles Lc.13:16...

A Palavra de Deus é fiel e nos traz alento: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. ”

Todo relacionamento pressupõe: dedicação, fidelidade, transparência, renúncia.

Tanto nos relacionamentos humanos e muito mais em relação a Deus.

Se você tem negligenciado esse tempo para estar na presença de Deus, ouça-O dizendo: “Volta para Mim; estou te esperando de braços abertos”.

“ A maior bênção não é apenas receber de Deus. A maior bênção é ser alguém que Deus possa confiar e possa usar na sua obra." 

Servir a Deus é deixar que Deus seja Deus em nossa vida, sem a “ajudinha” e o “jeitinho” como gostamos de fazer.

                                                                                                                                                                            Por Ilca Helena Erthal de Freitas


Falsa Conversão

II Pe.2:22b – “ A porca lavada volta a revolver-se no lamaçal”.

O contexto desse capítulo 2:17-20, fala sobre pessoas que professam a verdade, mas não a incorporaram verdadeiramente. A transformação era apenas superficial e não mudava o coração de uma pessoa. Em seu interior ainda estava a raíz do velho homem.

Pesssoas há que se deixam levar pelas paixões do mundo e são vencidas, apesar de terem conhecido a verdade.

Jo.8:32 “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Pessoas assim, são comparados a fontes sem água (v.17). Assim como a água sustenta a vida física, a Palavra nutre a vida espiritual. Se o recém convertido não está bem fundamentado na Palavra, é facilmente enganado.

A porca lavada volta ao lamaçal não porque gosta de ficar suja, mas porque a lama é fresquinha, refresca-lhe o corpo. Assim também é o pecado: traz um refrigério à alma sedenta de aventuras.

No momento em que nos revolvemos e nos envolvemos com o pecado, saciamos o desejo de nossa carne. Ficamos confortáveis no lamaçal de lembranças, no desejo de revivermos e ou voltamos as mesmas impurezas, a velha natureza...Aí nossos sentidos se embotam e, nesse momento, a lama do pecado nos arrebata, perdemos o domínio próprio, a noção de perigo.

O pecado uma vez instalado em nós, vai nos dominando e, quando menos esperamos perdemos a visão da verdade.

Tão caro foi o preço do nosso resgate, pago por Jesus, pelos nossos pecados, para voltarmos a nos revolver, mesmo por um momento, na lama fresquinha.

A passagem mostra a necessidade de uma conversão genuína e não apenas um conhecimento intelectual de Cristo.


                                                                                                                                                     Por Ilca Helena Erthal de Freitas

 

 

Temos Sido Sal da Terra?     Textos: Mt.5:13 e Lc.14:34

No tão conhecido Sermão do Monte, Jesus fala acerca do que os discípulos são , em decorrência do novo caráter, pois foram transformados na nova vida em Cristo, novas criaturas – “Se alguém está em Cristo, é nova criatura” Co.5:17; Portanto, passaram a ter um novo caráter, o caráter de Cristo. E assim o que somos por dentro, será externado e, consequentemente, trará efeitos transformadores fora.

Não estamos aqui por acaso, como discípulos de Cristo, temos um papel a exercer aqui na terra. No texto base desta meditação, Jesus chamou seus discípulos de SAL DA TERRA.

Entre outros, o valor e a função do sal são: dar sabor aos alimentos, preservar os alimentos da degeneração, gerar calor. Jesus usa a figura do sal para ensinar a respeito da manifestação e influência nossa neste mundo. Ele sabia da utilidade prática do sal e usou esta figura para ilustrar o que Ele esperava dos discípulos naquela época assim como o que Ele espera de nós hoje, ou seja, que nossa vida diária, como discípulos de Cristo, venha dar sabor ao mundo, preservá-lo da corrupção, e gerar calor.

Vós sois o sal da terra . Sal aqui se refere ao cristão e terra, não é o nosso planeta e sim, o mundo, isto é, a sociedade corrompida, nossa comunidade – “Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo...” (Fl.2:15); podemos dizer que mundo também são as forças que se opõem a Deus conforme está em Ef.6:12 “Pois não temos que lutar contra a carne, e o sangue, e sim, contra os principados, contra as potestades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes.” A Bíblia diz que o mundo jaz no maligno (I Jo.5:19), e as características deste mundo são: materialismo, corrupção, doutrina de demônios, mentiras, imoralidades...

E é neste mundo que se encontra deteriorado, corrompido, onde os princípios e valores de Deus estão sendo esquecidos, que somos chamados para ser sal.

Então vejamos:

A-     Assim como o sal dá sabor aos alimentos, como podemos dar sabor ao mundo?

Através de nossa conduta, externando em nosso dia a dia o caráter de Cristo em nós. Temos que conhecer os ensinamentos de Cristo e vivê-los; assim estaremos transmitindo ao mundo o sabor do Evangelho; falaremos das boas novas de salvação com mansidão, convicção e ousadia no Espírito; nossas conversas serão agradáveis, como diz Cl. 4:6 “A vossa palavra seja sempre temperada com sal, agradável, para saberdes como deveis responder a cada um”. O sal impregnado no alimento dá sabor e o preserva, assim devemos ser, isto é, ao estarmos em contato com a sociedade, nas escolas, no trabalho, nas ruas, com os familiares, devemos dar sabor, exercendo uma influência positiva, boa, agindo com mansidão e sabedoria nos relacionamentos, vivendo o amor de Cristo nesta sociedade egoísta. Não somos deste mundo, mas estamos neste mundo; se o sal ficar só no saleiro, não poderá exercer suas propriedades. Da mesma forma, nós não podemos ficar só na igreja, isolados. Não, temos que estar em contato com a comunidade da qual fazemos parte. Embora sejamos ou devêssemos ser moral e espiritualmente diferentes do mundo, não devemos nos isolar, e sim afetar a sociedade. Cumprir o ide de Jesus; Deus procura pessoas para serem usadas como sal no mundo – “A quem enviarei e quem há de ir por nós? Eis-me aqui, envia-me a mim.” Is. 6:8.

Jesus foi nosso maior exemplo: “Porque eu vos dei o exemplo, para que como eu vos fiz, façais vós também”. Jesus não se isolou. Ele frequentou festa de casamentos, evangelizou a mulher samaritana, hospedou-se em casa de um pecador. Não devemos nos isolar, mas nos misturar. E quando falo misturar não quero dizer tornar às práticas do mundo, sentar na roda dos escarnecedores, compactuar com o mundo e nos deixarmos ser influenciado por ele. Não. Não é nos misturar ao ponto de não salgarmos mais. Mas sim, vivermos como discípulos de Jesus e influenciarmos com Seus ensinamentos e vida.

 

B-     O sal preserva o alimento da decomposição. Como discípulos como podemos retardar o processo de corrupção do mundo?

Sabemos que a cada dia que passa, o mundo está se decompondo em suas maldades, imoralidades, corrupções, devassidão etc. Mas a Igreja de Cristo retarda esse processo de corrupção que vive a sociedade. Como? Assistimos a tanta maldade, tantos absurdos, não é mesmo? Sim, mas veja o que está em II Ts. 2: 6,7. O que detém a iniquidade é a presença do Espírito Santo na Igreja, é o sal. Quando formos arrebatados, você ode imaginar como ficará este mundo?! O mundo é corrupto e continuará sendo, pois jaz no maligno, mas seria muito pior sem a presença influenciadora dos discípulos de Cristo através das intercessões e nossa conduta.

Nós como sal terra, podemos impedir um estado de podridão maior do mundo, assim:

Contrastando nosso comportamento com o mundo, conforme Fl. 2:15; apresentando o caráter de Cristo em nosso dia a dia, conforme Gl.2:20. Temos aprendido: “ Ser cristão é ser a reprodução de Cristo em Seu caráter e em Sua missão”; Cumprindo nossos deveres sociais e cristãos como vemos em Mt.22:21; tendo uma conduta cristã e cultivando bons costumes, conversações, amizades, como vemos em Sl.15:1-5 e I Co.15:33 e Ap.22:11; firmados na Palavra I Co.15:58;

 

C-     O sal gera calor. Como podemos ser transmissores desse calor?

Diz-se que nos países frios, o sal é usado para impedir que a neve se produza nas estradas, ou seja, ele impede o predomínio do gelo, da frieza.

Nós, como o sal, podemos transmitir o calor humano, sermos solidários, expressarmos o amor onde vivemos, termos uma palavra para edificar, confortar, sabermos ouvir etc.

 

Esta palavra pretende levar-nos a uma reflexão de como temos vivido como discípulos de Jesus.

Temos sido canais para levarmos as pessoas que convivem conosco a refletirem seu relacionamento com Deus ou temos sido instrumentos para eles se afastarem? Veja Rm. 12:11,13,15.

Temos sido canais para amizades e companheirismo (I Jo. 4:20) ou para intrigas e fofocas (I Co. 3:1-3)?

Faça uma reflexão, querido! Jesus nos chama para sermos sal da terra, mas nos adverte quanto ao perigo de assim como o sal, que pode perder suas qualidades se tornando insípido, ou seja, sem sabor, sem a capacidade de preservar, nós deixemos de reproduzir o caráter de Cristo. Lemos que, o sal que Jesus se refere não era como o nosso, que já vem refinado, limpo.   Era um pó branco, possivelmente pó de pedra, continha cloreto de sódio, sujeiras e outros “ingredientes”. E esse pó quando perdia o cloreto de sódio, continuava sal, mas perdia o sabor e sua capacidade de preservar. Por isso Jesus diz que o sal insípido para nada serve (Lc.14:34, 35). E o discípulo insípido é o crente morno, indolente. Perde seu sabor, seu valor, deixa de reproduzir o caráter de Cristo que é revelado em seus atos, as pessoas não verão o amor de Deus refletida nele. Tornamos-nos insípidos não vivendo a Palavra, veja Tg. 1:22 “Sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. ” Somos insípidos tendo uma vida cristã apática, que só quer receber, que reclama de tudo, que vive na religiosidade, ou seja, até prega, mas não vive.

Sejamos, portanto como discípulos do Senhor Jesus, sal da terra, cumprindo o ide de Jesus, com intercessões, quebrantamento, ações de graça... Enfim, obedecendo a Palavra e vivendo de acordo com a mesma. Assim, teremos uma comunhão íntima com o Senhor, abençoaremos e seremos abençoados e Deus será exaltado! Aleluia!!!
                                                                                                                                                                                                                                                    Por Nana Alves



O SENHOR NÃO RETARDA A SUA PROMESSA

II Pe. 3:1-13

Muitas tem sido as opiniões sobre a segunda vinda de Cristo e o fim do mundo. Alguns chegam ao ponto de marcar datas, mas não devemos dar ouvidos a essas afirmações sem fundamentos, pois a data da volta de Jesus, do fim do mundo é desconhecida do ser humano. Mt 24:36 diz que “a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai. ”

E, se alguns estão marcando datas para o fim, podemos perceber a ironia e ceticismo de outros -  “ Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. ” II Pe.3:3,4

Mas o Senhor não retarda a Sua promessa (II Pe.3:9), como alguns a julgam demorada. O Senhor é longânimo para conosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.

Deus não marca o tempo conforme os homens, vemos isso em II Pe. 3:8: “ Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” Deus não está sendo vagaroso com a volta prometida de Jesus. A “demora” do cumprimento da promessa tem o objetivo de estender a graça. Lemos há pouco (v. 9) que Ele é longânimo para conosco porque é desejo Seu que ninguém se perca, mas que chegue ao arrependimento.

Não sabemos a data marcada por Deus para a segunda vinda de Cristo, para o fim do mundo, mas este dia chegará. E virá tão inesperadamente como o ladrão (II Pe.3:10). Através das Escrituras, quando lemos sobre os sinais que antecedem a segunda vinda de Cristo, podemos ter certeza que está perto.

O Senhor não retarda a Sua promessa. Você está preparado?

Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. (Rm. 14:11,12)

Quando Cristo vier pela segunda vez, Ele virá como Juiz. Virá para o julgamento de todos. Isaías 53:5,6 está escrito: “ Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de todos nós. ” Nossas injustiças e pecados caíram sobre Jesus. Por causa de Seu sacrifício nas cruz, Deus pode nos declarar justificados, pois a justiça de Cristo é transferida à nós – “Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.
Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos.(Rm. 5:18,19). É justificado em Cristo cada pecador que se arrepende dos seus pecados, dando as costas para eles e depositando sua fé em Cristo como seu Salvador.

“ Aquele que não conheceu pecado, Ele O fez pecado por nós; para que n’Ele fossemos feitos justiça de Deus. ” (II Co. 5:21). O pecado e o castigo pertencem a nós. Mas Cristo, sem pecar e sem culpa, identificou-se com o nosso pecado e nossa culpa, carregando-os na cruz em nosso lugar. Ele fez isso por amor a mim e a você. Ele fez isso em prol de cada ser humano. Mas isso não é automático. O sangue de Cristo que foi derramado na cruz, resgata a todos que n’Ele crer e o receber como Senhor e salvador em sua vida.

Os dias estão passando velozmente, nossa vida é como um vapor. “Porque, que é a vossa vida?  É um vapor  que aparece por um pouco, e depois se desvanece. ” Tiago 4:14. Não adie a decisão mais importante da sua vida: o Encontro com Cristo. Hoje é o dia da salvação : “Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto. ” Hebreus 3:7-8.

Deus o abençoe!

                                                                                                                                                                                                                           Por Nana Alves


 


INSEJEC Nova Friburgo

ao igreja nacional 14 nov, 2017
Receitas variadas para o dia a dia.
Fique à vontade para comentar, dar sugestões e dicas.
ao igreja nacional 04 nov, 2017
https://www.youtube.com/user/INSEJECNF

Mensagens:

Mensagem no texto de Gênesis 18:1-13 - Pra. L. Nazareth Fontoura -INSEJEC Nova Friburgo

Isaías 58: 7-11 - Pr. Edney Schwindt -  5ª Igreja Assembleia de Deus em Nova Friburgo

As Condições de Deus Apontam para o Seu Propósito - Pr. Pedro - Igreja Amor e Fé - Nova Friburgo

Jesus, Pão da Vida - Pra. L. Nazareth Fontoura - INSEJEC Nova Friburgo

Jardim Espiritual - Marcos Rosa _ Igreja Casa de Oração - Nova Friburgo

IX Aniversário da INSEJEC Nova Friburgo

Há Esperança em um Coração Contrito a YHWEH - Leila Cristiane Guadagnini de Farias - INSEJEC Nova Friburgo

A Graça de Deus - Parte 1 - José Airton de Farias - INSEJEC Nova Friburgo

A Graça de Deus - Parte 2 - José Airton de Farias - INSEJEC Nova Friburgo

Vencendo Gigantes com Jeova Sabbaoth - Pra. L. Nazareth Fontoura - INSEJEC Nova Friburgo

Evangelho de Mateus 4:1-11 - A Tentação de Jesus - Pra. L. Nazareth Fontoura - INSEJEC Nova Friburgo

Deus é o Guardião da Família - Pra, L. Nazareth Fontoura - INSEJEC Nova Friburgo

Celebração ao Senhor - Rede de Homens da INSEJEC Nova Friburgo

Shabat no VIII Aniversário da INSEJEC Nova Friburgo - Lovor e Mensagem com o Cantor Ananias Velozo

VIII Aniversário INSEJEC Nova Friburgo

Coração Disponível - Pra. L. Nazareth Fontoura - INSEJEC Nova Friburgo

Momento de Oferta - Leila Cristiane Guadagnini de Farias - INSEJEC Nova Friburgo

Autoridade e Conquista - Pra. L. Nazareth Fontoura - INSEJEC Nova Friburgo

Vigie-se - Pra. Nazareth - INSEJEC Nova Friburgo

Mensagem: Atitude - Pra. Nazareth - INSEJEC Nova Friburgo

Onde Está a Igreja Livre? Parte 1 - Pra. Nazareth INSEJEC Nova Friburgo

Onde Está a Igreja Livre? Parte 2 - Pra. Nazareth INSEJEC Nova Friburgo

O Livro Sem Palavras INSEJEC'S KIDS Nova Friburgo - Mensagem para as crianças

Um Coração Perfeito - Pra. Nazareth INSEJEC Nova Friburgo - Parte 1

Um Coração Perfeito - Pra. Nazareth INSEJEC Nova Friburgo - Parte 2

Um Coração Perfeito - Pra. Nazareth INSEJEC Nova Friburgo - Parte 3

Pr. Djalma Batista na INSEJEC Nova Friburgo - Parte 1

Pr. Djalma Batista na INSEJEC Nova Friburgo - Parte 2

Pr. Djalma Batista na INSEJEC Nova Friburgo - Parte 3

Pr. Djalma Batista na INSEJEC Nova Friburgo - Parte 4

Pr. Djalma Batista na INSEJEC Nova Friburgo - Parte 5







ao igreja nacional 04 nov, 2017

Ressurreição: Fundamento da Fé, Esperança e Amor   -   Texto: Romanos 4:17-25  

I-               O fundamento da nossa fé a Ressurreição  

A Ressurreição é obra de um Deus que faz milagres, o Deus de Maravilhas.

1 Co 15:14 – “E se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e é vã a nossa fé.”

Que Deus é esse e qual o seu nome?

1-     Seu nome é – EU SOU O QUE SOU  – ou YAHWEH

“O que era que é e o que há de vir”, o Eterno, o Deus de ontem, de hoje e eternamente.

2-     O Deus que se manifesta pela fé.

Hb 11:6 – “Sem fé é impossível agradar a Deus.”

Abraão foi justificado pela fé. Como?

a)    Creu na promessa de Deus.

“Terás um filho” e “Por pai de muitas nações te constituí”

b)    Creu contra a esperança.

Era impossível Abraão e Sara terem um filho. Yahweh prometeu gerar a vida do ventre morto de Sara, sem a menor possibilidade.

c)    Não enfraqueceu na fé.

Abraão “não atentou para o seu próprio corpo já amortecido” (v.19)

Não fixou o seu olhar na circunstância totalmente desfavorável.

Naquela situação era impossível.

Pensemos, por um momento, em quantas situações totalmente impossíveis aos nossos olhos temos na vida?

d)    Não duvidou da promessa de Yahweh

Abraão se fortaleceu glorificando a Deus.

Deus se manifestou pela fé de Abraão. Deus que:

- Vivifica os mortos e chama as coisas que não são como se já fossem.

- Antes de vir à manifestação já existe.


II-             O fundamento da verdadeira Esperança é a Ressurreição
Ressurreição é:                                                                                                                                           

  a)    Dar vida ao que morreu

b)    Chamar à existência o que não existe

 

                  Yahweh se deu a conhecer em Jesus Cristo, por um único propósito:

        Levantar uma descendência inumerável como as estrelas do céu e como a areia do mar .

                  O que Ele fez com Abraão tinha em vista Ele mesmo
                  ▪ Em Isaque será chamada a sua descendência           – Abraão

                  ▪ Em Jesus Cristo será chamada a sua descendência   - Yahweh

        V.23 – “Ora não só por causa dele está escrito que lhe fosse tomado em conta, mas também por nós ... os que cremos naquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus, nosso Senhor.

        V 25 – “Foi entregue por nossos pecados. Ressuscitou para nossa justificação”.

 

                    Pela fé em Cristo e em Sua Ressurreição se estabelece a Verdadeira Esperança.

  Somos filhos de Yahweh por Jesus Cristo que contra a esperança, porque estávamos mortos nos nossos delitos e pecados, levou o nosso pecado sobre Ele na cruz do Calvário, morrendo em nosso lugar e nos dando a esperança da vida eterna com o Pai.

Ef 2:5-6 – “Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus. ”

                  Jesus venceu a morte e nele:

                   ▪ Temos paz com Deus

                  ▪ Temos vida abundante

 

III-           O fruto do Amor de Jesus é a Ressurreição  

 Rm 5:10 – “Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.”

Reconciliados na morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Conclusão:

                        A Ressurreição de Jesus é o fundamento do florescimento dos frutos da perfeição a ser revelado em nós no retorno do Nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo:

            A Fé, a Esperança e o Amor

                                                            MARANATA, ORA VEM SENHOR JESUS!

 

                                                                                                                                                                Por Pra. L. Nazareth Fontoura

Share by: